Pular para o conteúdo
Início » Blog » Vistoria Veicular: Saiba O Que É E Quando Fazer

Vistoria Veicular: Saiba O Que É E Quando Fazer

Vistoria veicular: saiba o que é e quando fazer

Fazer uma vistoria veicular é responsabilidade de todo e qualquer um que possui um automóvel, seja carro, moto ou até caminhão. Logo, é uma obrigação legal que garante a vantagem de poder circular por todo o país em seu veículo.

Esse processo pode gerar um pouco de confusão, ainda mais para quem não conhece as regras do Conselho Nacional de Tráfico (Contran). Caso você tenha dúvidas sobre o assunto, basta continuar com a leitura deste conteúdo para entender mais sobre!

O que é vistoria veicular?

O DETRAN é responsável pela avaliação dos veículos da esfera estadual que estão em uso em todo o país. A vistoria veicular é usada para determinar se os veículos estão em boas condições de conservação e manutenção. Seu papel é garantir:

  • Propriedade legítima do veículo;
  • Documentação autêntica;
  • O veículo possui condições seguras para uso.

Quando fazer?

Segundo o artigo 123 do Código de Trânsito Brasileiro (CTB), a vistoria veicular é uma obrigação em quatro casos:

  • Quando for necessário transferir a posse do veículo;
  • Se o proprietário mudar o seu município de domicílio;
  • Se alterar alguma característica do veículo;
  • Por fim, se houver mudança na categoria do veículo.

Qual o custo médio da consulta?

O preço médio de uma consulta de vistoria veicular irá depender de cada estado. No entanto, uma vistoria veicular comum feita pelo Detran, na maioria das vezes custa em torno de R$ 93,67.

Onde fazer?

A vistoria do Detran está integrada ao procedimento de expedição da CRV. As etapas desse processo dependerão do que está impulsionando o novo registro, a mudança de residência, por exemplo, é mais simples neste caso.

Você só precisa ir até a uma central de atendimento do Detran do seu estado ou apresentar a Circunscrição Regional de Trânsito (Ciretran) com cópia do seu RG, CPF e comprovante de endereço.

Haverá uma taxa pela entrega do CRV e pela vistoria, mas especificidades do procedimento diferem em cada estado.

Em relação ao lugar da vistoria, pode ser na própria unidade ou, como em São Paulo, por exemplo, dentro de uma Empresa Credenciada de Vistoria (ECV).

Primeiramente, é preciso preencher o verso do CRV com informações a respeito da transação e do vendedor.

O papel precisa ser assinado pelo proprietário anterior e pelo novo proprietário, cuja firma precisa ser reconhecida em cartório. Também é necessário obter uma cópia autenticada do CRV, frente e verso.

Enquanto o antigo proprietário está utilizando esta via autenticada para notificar o Detran da venda, o novo proprietário está portando o documento original necessário para o envio do novo registro.

Sendo assim, o procedimento é o mesmo de uma transferência de domicílio: os documentos são apresentados, a taxa é paga e o veículo é levado à vistoria. Um detalhe essencial é que só é possível criar um novo registro caso todas as dívidas do anterior tiverem sido pagas.

Saiba também: Manutenção Preventiva: Saiba Como Cuidar Do Seu Veículo

O que acontece se não fizer a vistoria veicular?

De acordo com o artigo 230 do CTB, conduzir veículo não registrado e licenciado é uma infração gravíssima que acarreta multa, apreensão do veículo e medidas administrativas como sua retirada ou retenção.

Na prática, não é obrigatório o porte deste documento todos os dias, pelo que a aquisição de um novo CRV ocorre mais vezes em casos da transferência de propriedade ou residência de uma pessoa, conforme consta do artigo 233.º do CTB:

CTB – Lei nº 9.503 de 23 de Setembro de 1997

Institui o Código de Trânsito Brasileiro.

Art. 233. Deixar de efetuar o registro de veículo no prazo de trinta dias, junto ao órgão executivo de trânsito, ocorridas as hipóteses previstas no art. 123:

  • Infração – grave;
  • Penalidade – multa;
  • Medida administrativa – retenção do veículo para regularização.

Quais são os tipos de vistoria veicular?

Vistoria veicular: saiba o que é e quando fazerAgora que você já sabe mais sobre a vistoria veicular, é preciso entender completamente o propósito dos tipos existentes de vistoria, pois há mais de um. Confira logo abaixo quais são as vistorias veiculares:

Vistoria prévia

O objetivo é analisar a situação completa do carro para confirmar que está regular e garantir a validade da apólice de seguro da empresa seguradora.

Vistoria cautelar

É bem provável que você já tenha ouvido falar sobre a vistoria cautelar. É uma análise meticulosa feita por um perito para avaliar o design e a originalidade das peças de um carro.

Neste caso, se leva em consideração os pontos abaixo:

  • Placa do carro;
  • Número do chassi e do motor;
  • Estrutura geral do automóvel;
  • Etiquetas de identificação nos vidros dos carros;
  • Documentação;
  • Equipamentos obrigatórios e de segurança;
  • Indício de sinistro e avarias;

Vistoria para transferência

Quando um veículo se destina a ser transferido para outro indivíduo ou endereço, quando houver certas alterações nos aspectos de fabricação do veículo, ou sempre que houver irregularidades, este tipo de vistoria é obrigatório para apurar fraudes, adulterações ou outras irregularidades.

Vistoria em trânsito

Nessa situação, será preciso localizar a Guia de Arrecadação Estadual (GARE) e encaminhar o veículo ao pátio do DETRAN.

Este processo fará uma análise das condições gerais do veículo e exigirá o pagamento de taxas, além da apresentação de uma cópia simples do Certificado de Registro do Veículo (CRV).

Conclusão

Agora você já sabe porque é essencial uma vistoria veicular, certo?

Confira em nosso blog outros posts como este que talvez possam ser do seu interesse também:

Marcações:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *